quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Anime: IMMORAL SISTERS

ATENÇÃO: A postagem (e o anime resenhado) não são recomendáveis para menores de 18 anos.Olá.
Ultimamente, quando vou resenhar animes no blog, sempre fico com a sensação de que vou quebrar a cara. Até agora não aconteceu, felizmente... mas tenho o pressentimento de que desta vez vou, sim, ser execrado. Porque o anime de hoje é... um hentai.
Quando se trata de hentais, é difícil encontrar séries que sejam satisfatórias, em termo de roteiro e de animação. A maioria, se não tem a famosa síndrome das "histórias no meio das cenas de sexo", tem uma animação muito discutível.
Ainda há salvação para os que buscam qualidade acima de tudo. Dois bons exemplos: Teacher's Pet, que já foi resenhado aqui, e este, IMMORAL SISTERS.
Com o nome original de Ai Shimai, IMMORAL SISTERS é um belo exemplar de animes que contém cenas de sexo no meio da história. Ainda por cima, tem uma história!
Bem. A série nasceu na forma de um jogo de computador produzido pela empresa japonesa Elf Corporation. A versão em anime foi produzida pelo prestigiado estúdio Pink Pineapple, em 2002, com três episódios de cerca de 30 minutos. Com uma animação primorosa e um enredo surpreendente, IMMORAL SISTERS não é apenas um anime sobre sexo: na história discute-se - ainda que de forma subliminar - as relações familiares, o jogo do poder e a corrupção de valores. Afinal, quem detém o poder, tem o direito de fazer o que quiser com as pessoas? É o que as belas irmãs Kitazawa sentem na pele.
As encrencas para a desafortunada família Kitazawa iniciam-se quando a mãe, Yukie, bate com o carro no automóvel pertencente à família Nozawa. Estes exigem que a pobre mãe, cujo marido está em viagem de negócios, pague os prejuízos - muita coisa para ela pagar. E, é evidente, o marido de Yukie não pode saber de tudo isso! Assim, a família - Yukie e as filhas adotivas, Rumi e Tomoko - acabam entrando num jogo de chantagem. São feitas de escravas sexuais da tal família rica.
Os Nozawa são: o pai, o corrupto empresário e conselheiro escolar, e o filho, o imoral Taketo, que sempre sente-se à sombra daquele. E ainda há Yumi, a secretária de Nozawa, que está coordenando a chantagem (e a quem Taketo, inutilmente, fica dando em cima).
Aliás, é mostrado em flashback o passado de Yumi, que, iludida pela proposta de trabalho do Sr. Nozawa, acaba tendo sua virgindade tirada pelo empresário.
E a coisa processa-se assim: enquanto Taketo piiih com Yukie, obrigando-a inclusive a mentir para o marido no telefone enquanto a "deflora", o Sr. Nozawa, assessorado por Yumi, se encarrega de tirar a virgindade das meninas. A primeira é a mais velha, Rumi, uma garota de personalidade forte e muito popular no colégio. A seguir, é Tomoko, a mais nova e a mais inocente, que é "deflorada" por Nozawa. E ainda tendo se assistir a cenas em que a mãe e a irmã se submetem aos caprichos de Taketo...
Impressionante é que as duas irmãs, ao contrário de muitos personagens desse tipo de série, têm personalidades bem definidas: enquanto Rumi é esquentada e não admite que isso esteja acontecendo com sua família, Tomoko é a mais inocente, e a que parece ter aceitado a descoberta da sexualidade com mais naturalidade. É ela que mais se esforça para que a família não desmorone com essas intempéries. Ainda mais porque é ela que leva Rumi a tirar o prazer de tudo isso... e essa descoberta leva a uma cena de sexo lésbico e... incestuoso. Acabam se tornando assim o qualificativo do título. Mas não há como não se sensibilizar com seus dramas e - por que não? - por seus corpos.
Apesar da situação nada agradável, a família Kitazawa pretende dar a volta por cima. E a chave para a virada é Yumi. A princípio, Yumi parece ser uma personagem tão imoral quanto Taketo, que também é uma espécie de amante seu; mas, no decorrer da série, vemos que ela não aceita de todo obedecer ao corrupto Nozawa, e arma um plano para vingar-se do patrão, pelas vidas que prejudicou - inclusive a sua. E Taketo acaba entrando nessa ciranda... e pode representar a peça-chave da salvação de Yukie, Rumi e Tomoko.
Com um final surpreendente, o enredo se desenvolvendo paralelamente de acordo com os pontos de vista de cada personagem e belíssimas cenas de sexo, IMMORAL SISTERS surpreende. É uma série que sai um pouco do lugar-comum. E garantiu uma continuação. Ou melhor, duas. Mas dessas eu vou falar em breve.
Ah: houve um boato, certa vez, que IMMORAL SISTERS foi dublado e passaria no Brasil. No canal de televisão paga Animax, em um horário, evidentemente, destinado a adultos. No entanto, não tenho nesse momento como confirmar se o anime realmente passou ou não.
Bem aos interessados, essa primeira série pode ser baixada (na versão legendada, claro) no site Só Hentai (http://sohentai.net/).
Na segunda parte da trilogia, em breve: IMMORAL SISTERS 2.
E, como o assunto foi sexo, reitero, através do desenho: não acreditem no que vêem nos hentais, usem camisinha! Senão quem pagam são vocês...
Se não quebro a cara hoje, nas próximas postagens quebrarei.
Até mais!

Nenhum comentário: