sexta-feira, 29 de julho de 2011

Filme: O SEGREDO DOS ANIMAIS

Olá.

Hoje, volto a falar de filme.

Já faz algum tempo que eu queria falar desse filme, mas estava faltando oportunidade. Trata-se de um dos filmes de animação mais divertidos que eu já assisti, embora seja um filme em computação gráfica - técnica mais que banalizada hoje em dia, e que traz resultados variáveis.

Geralmente, os longas-metragens de animação 3D costumam trazer personagens divertidos, tramas elaboradas e humor inteligente, o que compensa o trabalho dos animadores. E os estúdios que mais tem obtido bons resultados com a animação 3D são a Pixar - atualmentebraço artístico da Disney, responsável por filmes como Carros, Procurando Nemo, etc. - e a Dreamworks - da franquia Shrek. Mas há empresas dispostas a fazer concorrência com essas duas, e concorrência à altura.

É o caso da Nickelodeon Movies, braço do conglomerado Nickelodeon. É desse estúdio que saiu o filme do qual vou falar: O SEGREDO DOS ANIMAIS.
O SEGREDO DOS ANIMAIS (Barnyard no original) foi produzido em 2006, pela Nickelodeon Movies e pelo estúdio O Entertainment, com roteiro e direção de Steve Oedekerk (que já dirigiu Ace Ventura 2: Um Maluco na África, Kung Pow e que foi produtor e co-autor do roteiro de outro filme célebre da Nickelodeon Movies, Jimmy Neutron).

O roteiro de O SEGREDO DOS ANIMAIS é baseado na seguinte ideia: a de que os animais - bois, porcos, galinhas, cães, etc... - escondem um segredo dos seres humanos. Que segredo? Eles podem andar sobre duas pernas, falar, cantar, dançar... Por motivos meio óbvios, eles escondem isso dos humanos - na frente deles, eles se comportam como animais comuns de quatro patas. É a partir dessa base que se desenvolve a história do bezerro Otis e sua turma.

Otis (voz em inglês de Kevin James) é um bezerro já crescido - e, apesar de ser um macho, ele tem tetas!! - , irreverente, e que só pensa em se divertir e sacanear os humanos, que, como de praxe, são retratados por Oedekerk como ignorantes e alienados, o que não deixa de ser verdade. E tudo isso para a tristeza de seu pai adotivo, o boi Ben (voz de Sam Elliot).

Otis e seus amigos moram na fazenda de um simpático fazendeiro gorducho que, como de praxe, não sabe de nada o que acontece quando ele sai da fazenda. Enquanto Ben passa seu tempo garantindo a segurança dos animais e tentando manter o segredo intacto, Otis e seus amigos praticam esportes malucos (no começo do filme, Otis e seus amigos entram em cena surfando morro abaixo em cima de um bloco de gelo), sacaneiam os humanos, compram artigos ilegalmente de ratos contrabandistas e promovem festonas no celeiro.

Ah, sim: os principais amigos de Otis são o ratinho sarcástico Pip, o ingênuo galo Peck (que ainda não sabe cantar), o furão Freddy, que tenta a todo custo sucumbir à vontade de devorar galinhas, e o Porco. Moram também no sítio o sensato burro Milo (voz de Danny Glover), o metido cão pastor Duke, a galinha Etta (voz de Andie MacDowell) e a adorável pintinha Meggy, que adora Otis. No início do filme, mais dois animais chegam à fazenda: as vacas Daisy (voz de Courteney Cox), que chega grávida, e sua amiga, a nervosinha Bessy (voz de Wanda Sykes), que não gostou de Otis desde o começo e tenta afastar a amiga dele. As duas haviam sido abandonadas no campo após uma tragédia, e Otis tenta tornar a estada de Daisy a melhor possível.

Outros humanos que aparecem são os vizinhos do fazendeiro, Senhora Lima, uma senhora bisbilhoteira e sempre desconfiada da barulheira que os animais fazem, e seu marido, o preguiçoso Nataniel, que passa a maior parte do tempo sentado à frente da televisão.

Bem. O caso é que Ben tenta, a todo custo, fazer Otis aprender lições e "crescer", deixar de ser infantil, porque espera que o bezerro assuma seu lugar como líder do celeiro. Claro que Otis tenta fugir das responsabilidades. Mas um dia tudo muda.

Foi na ocasião em que os animais do celeiro promovem mais uma das festas no celeiro - com direito a bar, mesa de sinuca e até música ao vivo. Otis, que pediu a Ben para ser dispensado da vigia noturna para cantar na festa, é claro, se esbalda e até "engana" dois entregadores de pizza meio "drogados". Enquanto isso, o galinheiro da fazenda sofre o ataque de coiotes, liderados pelo malvadão Dag (voz de David Koechner). Ben aparece para debelar o ataque, mas sofre graves ferimentos durante a briga - e acaba falecendo nos braços de Otis, que foi avisado do ataque ainda a festa.

A partir daí, Otis precisa abandonar a "infância" e assumir responsabilidades - e de um modo abrupto, que ele não consegue absorver direito. Mas não será tão simples quanto parece.

Primeiro, os animais, em votação, escolhem Otis para ser o novo líder - muito embora Duke tenha se candidatado. E os animais, conhecendo a vocação de Otis para a farra, já começam a fazer festa. Vem daí o primeiro grande teste de Otis: por não conseguir resistir ao seu impulso por dançar (principalmente depois que o pessoal solta Mike Maluco, um bicho peludo de espécie desconhecida que dança loucamente), ele acaba, junto com os animais, sendo visto pelo fazendeiro. De um modo meio maluco - e com a ajuda de Milo, que coiceia a cabeça do fazendeiro várias vezes - , Otis tenta convencer o homem de que na verdade sonhou com o que vira.

A seguir, Otis, junto com o Trio Mocotó - um bando de bois meio arruaceiros que moram nos arredores - , invade um condomínio para assustar um garoto implicante que, na cena anterior, invade um pasto e derruba uma vaca só para se exibir - o tal garoto foi dublado pelo próprio Oedekerk. E a fuga do condomínio se dá com um automóvel - dirigido pelos bois - e com direito a perseguição da polícia, que quase põe o segredo a perder.

Mas o grande teste de Otis se dá quando os coiotes retornam: Dag, ao saber que Otis havia fugido das responsabilidades na noite em que Ben morreu, chantageia o bezerro, em troca de algumas galinhas do galinheiro. Essa sinuca de bico faz com que Otis cogite abandonar a fazenda, ainda que sob a oposição dos outros. Porém, ao saber que Dag e os coiotes roubaram galinhas mais cedo que o acordado, Otis resolve partir para o resgate. Mas ele vai contar com a ajuda de seus amigos, claro. E tudo, antes queo filho de Daisy nasça.

O SEGREDO DOS ANIMAIS pode ser tomado, nesse ínterim, como uma bela história sobre a necessidade de crescer e amadurecer. Querendo ou não, todos nós precisamos assumir responsabilidades um dia. Otis vai demorar, mas vai entender o que Ben lhes diz: "O forte se protege; o mais forte protege os outros" (parafraseando).

E o filme, além dessa importante lição, tem doses certas de ação, drama e comédia, muita comédia. Os personagens têm todos a sua oportunidade de mostrarem o que sabem fazer - nesses quesitos, ganham os personagens Otis, que apesar da mudança radical de vida não abandona alguns dos hábitos peculiares; orato Pip, sempre com um comentário espirituoso; Freddy, que quase sempre não consegue conter sua compulsão de comer galinhas - o que o deixa praticamente louco; Bessy, sempre nervosinha (e que na dublagem brasileira ganhou sotaque nordestino!); etc, etc, etc. E, de certa forma, é divertido ver bois, porcos, galinhas e etc., pilotando motoclicletas, dançando sobre duas patas, dirigindo automóveis... (vai que seu bicho de estimação de repente não esteja dançando atrás de você enquanto você não olha...)

E a trilha sonora, coordenada por John Debney, é um caso a parte: combinação de temas de country, rock rural, rap, música pop... aliás, o que mais tem no filme é referências pop, amarrados numa história maluca em muitos aspectos, com personagens não menos malucos. Diversão garantida para crianças e adultos. Vale a pena assistir.

Oh, claro: recentemente, O SEGREDO DOS ANIMAIS, assim como Jimmy Neutron e Pinguins de Madagascar, ganhou uma série de TV (canal Nickelodeon, 10:30, de segunda a sexta), que expande os conceitos do filme.

Enfim. O SEGREDO DOS ANIMAIS. A crítica aprovou, embora o filme tenha feito uma passagem discreta pelos cinemas brasileiros. Quem for ver em DVD, não percam os divertidos extras.


TIRAS DE HOJE

Para encerrar, hoje posto tiras.

Por motivos desconhecidos, o Henrique Madeira postou nesta sexta-feira - ao invés de quinta - a tira desta semana do Teixeirão no blog do Cruzaltino. Bem, o importante é que, mesmo com atraso e imprevisto, a tira desta semana está lá - e aqui também. E no Quadritiras também.

E mais: desta vez, coloco aqui quatro tiras de Letícia - o blog dela está adiantado em duas tirinhas em relação ao Estúdio Rafelipe. O arco continua. Mas o pior é que esta semana, devido a vários imprevistos e atividades extras, não pude desenhar. Feriazinha muito furreca esta que eu tive esta semana, hein!
Mas não se preocupem. Vou dar um jeito de recuperar o ritmo perdido. E farei o possível para que não faltem tirinhas, ilustrações e HQs nas próximas semanas!

Até mais!

Nenhum comentário: