quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Aliche no País das Más Ervilhas

video
Olá.
Nesta casinha de loucos que é o YouTube, podemos encontrar de tudo. Desde bobagens amadoras até material raro, que não é encontrado em nenhum lugar. Quando falo de material raro, falo de desenhos antigos, trechos de filmes antigos, enfim, material que, por um motivo ou outro, não foi mais reeditado, portanto é difícil encontrar em qualquer lugar. Está certo que a qualidade de imagem às vezes chega a desejar, mas não impede que o vídeo seja apreciado como se deve.
Nesse caso, encontrei no YouTube os episódios de uma série que há tempos estava fora de catálogo: Alice Comedies.

Alice foi produzida por ninguém menos que Walt Disney, muito antes da criação do Mickey Mouse. Foi entre 1923 e 1927 que apareceram as aventuras animadas da menina Alice, produzidas pelo estúdio criado pelo velho Walt, a Laugh O'Gram (parece que é assim que se escreve, mesmo).
O mais impressionante nesta série animada é que Alice é uma atriz real - no caso, Virgínia Davis, então com 4 anos na ocasião. É difícil imaginar como, na década de 20, quando as técnicas de animação ainda eram relativamente rudimentares comparadas às de hoje, foi possível fazer uma atriz de carne e osso interagir com figuras de papel e tinta quase ao ponto da perfeição! Eu disse "quase", porque perfeito não é, mas impressionante é.
Alice trata das aventuras da menina, que vive em um mundo nonsense e surrealista - a referência óbvia é o livro Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carrol. Alice interage com diversos animais antropomórficos (com trejeitos e comportamento semelhantes ao dos humanos), sendo seu companheiro de aventuras mais frequente o gato Julius, cópia do Gato Félix (claro: Julius e Félix são iguaizinhos, iguaizinhos. Até nas ações). Muito do que se vê nos episódios de Alice seria reaproveitado, mais tarde, nos curtas de Mickey Mouse, que Disney produziria mais tarde. Era a animação ainda nos seus inícios, um mundo onde tudo era permitido, as leis da física e da lógica não tinham nenhum valor.
A ressalva é a ideologia que permeia os episódios. Compreensível se formos analisar o desenho levando em conta sua época, o século XX. Sim: hoje, a ideologia apresentada em Alice soa como preconceituosa. Veja: a fuga da escola, a violência, o medo do então incipiente comunismo russo (como é o caso do curta de exemplo acima, Alice's Egg Plant, de 1925), as figuras estereotipadas. Vivemos em época de politicamente correto, o que às vezes é chato. Isso me lembra: também um filme de Walt Disney, A Canção so Sul - Histórias do Tio Remo, nunca mais foi reeditado por ser considerado racista e preconceituoso. O que é uma pena, porque é nesse filme que aparecem os personagens animados que no Brasil foram conhecidos como: Quincas, o coelho esperto (Brer Rabbit), João Honesto, a raposa ladina, e Zé Grandão, o urso estúpido, conhecidos nos quadrinhos Disney.
Por falar nisso: no YouTube também é possível assistir o célebre curta Der Fuhrer's Face, o polêmico curta-metragem que mostra o Pato Donald como um adepto do nazismo - porém, para criticar o sistema massacrante de Adolf Hitler. Não tenho notícia de que o curta tenha sido reeditado, mas o fato é que esse curta foi oscarizado.
Voltando ao assunto: Alice Comedies está no YouTube, vários episódios virulentos. Mas já foi lançado em DVD: curtas de Alice estão incluídos na caixa Walt Disney Treasures: Celebrated Shorts 1920s - 1960s, DVDs importados (foram lançados nos EUA) que podem ser adquiridos em sites como o Submarino.
Assistam e vejam: é animação como se fazia nos velhos tempos. Onde a magia realmente valia, não como hoje.
Fiquem agora com Letícia. Uma experiência: postar uma imagem e um vídeo no mesmo post? Deu certo. Hum... será que um dia conseguirei animar meus personagens? Só o tempo dirá.

Nenhum comentário: