sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Animação: IKKITOUSEN

Olá.
Um grande amigo meu me disse, uma vez, que achava que os japoneses tinham algum tipo de problema. Particularmente, os criadores de mangás e animes. E não sem razão: basta observar o modo como eles concebem as garotas. Elas sempre são lindas, magras, de olhos enormes e, se tiverem seios enormes, melhor pra eles. Isso foge bastante do biotipo real das japonesas.
Essas quimeras são bastante exploradas particularmente por dois gêneros de anime e mangá: o hentai e o chamado ecchi. Para quem não sabe, ecchi é o estilo "quase hentai", onde existem insinuações sexuais e nudez, mas nada muito explícito.
Hoje vou falar de uma série que é o símbolo máximo do ecchi: IKKITOUSEN, também conhecida como BATTLE VIXENS no Ocidente.
Primordialmente, IKKITOUSEN apresenta-se como uma série de ação. Claro: este anime, assim como em Tenjou Tenge, tem muitas lutas. Mas estas ficam muito em segundo plano pelo segundo e primordial aspecto da série: as garotas. É. Porque todas as garotas da série são lindas, bem magras e altas, de seios enormes e que lutam de saias bem curtinhas. São, portanto, inevitáveis os closes em suas calcinhas. Ah: e a cada batalha, suas roupas são "estrategicamente" rasgadas ao mínimo toque, deixando antever também partes de seus seios (tecido mais vagabundo, o desses uniformes, han?). Mais safádio e machista impossível.
Ah, mas tirando isso, a história é até razoável. Não digo boa, só digo razoável. Tentarei resenhar esse anime da melhor forma possível, pois as referências em português que encontrei são muito breves e nem todas simpáticas.
Bão. IKKITOUSEN foi criado em mangá por Yuji Shiozaki em 2000, adaptado para anime pelo estúdio JCStaff - Genco em 2003, sob direção de Takashi Watanabe, tem 13 episódios e, pretensamente, é uma versão moderna do Romance dos Três Reinos, um importante livro histórico chinês sobre o período dos reinos de Wei, Shu e Wu, que foi de 220 a 280 d. C. É muito complicado para tentar resumir aqui.
A história chinesa desse período é transferida para o Japão (?) dos tempos atuais. Em vez de reinos, temos sete escolas. Cada uma com um "chefe" entre os estudantes, que encarna um "imperador". Os estudantes são encarnações dos antigos personagens do período, cujas almas estão contidas em jóias em forma de vírgula chamadas magatamas, usadas como brincos. Nesse contexto, as escolas guerreiam entre si pela supremacia, e seus estudantes são exímios dominadores de artes marciais. Existe a profecia de que em breve, o "mestre dos mestres" chegará para unificar o fragmentado "reino". Ah, sim: os "éditos imperiais", ou as ordens dos chefes aos súditos são passados por mensagem SMS de celular - legal, não?
É aqui que entra a personagem principal da série, Sonsaku Hakufu. E já chega quebrando tudo, por sinal, no colégio Nanyou, onde vai "estudar". Ela é reconhecida como a reencarnação do "mestre dos mestres", o imperador chinês responsável por unificar os reinos. No entanto, é de se duvidar que seja ela mesma, pois apesar de forte e linda, ela é idiota - como se fosse uma versão feminina, oriental e linda do Groo, o Errante. Ela insere-se no meio sem entender nada do que está acontecendo, claro. Assim, ela tem como guia o primo, Shyuyu Koukin, com quem vai morar - levando a tiracolo, sem saber, a mãe, Goei. Koukin é um antípoda da prima: ele, que estuda em Nanyou, é meio covarde, boa-praça (só luta quando obrigado a lutar), mas muito mais sensato que Hakufu, que adora brigar e é ingênua a ponto de ser imbecil, cometendo qualquer bobagem, por mínima que seja, sem pensar - muito embora ela odeie ser chamada de idiota, ou "baka", como soa na legendinha. (baka, em japonês, quer dizer "idiota, bobo") No entanto, Koukin, que conhece seu próprio destino (na encarnação chinesa, Koukin foi conselheiro do Sonsaku original), faz de tudo para proteger Hakufu dos inimigos, embora ela faça questão de não precisar. Mas, na verdade, ela precisa. E muito.
Ao longo do anime, Hakufu vai conhecendo adversários poderosos, os amigos que irá cultivar ao longo da vida e entendendo o sentido de sua existência.
Os outros personagens da série são interessantes de se observar. Senão vejamos:
Comecemos pelos poutros estudantes do colégio Nanyou. O primeiro adversário a cruzar o caminho de Hakufu é o grandalhão Gakushuu, que adora doces e, apesar de ser realmente forte, fica apanhando mais que batendo. Gakushuu, no entanto, é bastante inteligente e ciente do que está acontecendo. A seguir, temos: o malucão e violento Kannei Kouha, o misterioso e pervertido Saji Genpou (o "vendedor de lingeries", como Hakufu o apelidou) e Ryomou Shimei, esta sim a personagem mais interessante: sua marca registrada é o tapa-olho branco - mas não que seja realmente cega de um olho - , e ela é neurótica e amargurada. Quando não luta com o uniforme do colégio, Ryomou luta com um sensual uniforme de empregadinha - um charme o crucifixo no pescoço! Ah: seu golpe mais perigoso é a técnica de imobilizar o adversário trepando (do verbo pendurar-se, seus mentes poluídas!) no corpo do adversário. Ela começa como inimiga de Hakufu, tentando matá-la a mando do misterioso Enjutsu, líder de Nanyou, mas ao longo do tempo torna-se amiga da "baka" - ainda que contra sua vontade. Mais pelo destino de sua magatama que por convicção.
Já do colégio Kyosho, temos o simpático Kakouton, um lutador de rua que é fiel ao seus princípios - sejam lá quais forem - , o fortão Kakuka e o dorminhoco Sousou Moutoku - o líder do colégio, que não luta nem uma vez no anime. Ah: Goei, uma "coroa enxuta", mas mutcholoca, que adora bater no bumbum da filhinha "baka" quando esta lhe falta com o respeito, se "apaixona" por Kakouton - e torce por ele mesmo quando, em um dos episódios, ele luta com Hakufu.
Do colégio Seto, aparece a gostosona e violenta Kanwu Unchou, cuja aparição é meteórica aqui - numa violenta luta com Ryomou - , mas de muito mais importância nas continuações do anime, DRAGON DESTINY e GREAT GUARDIANS, dos quais falarei outro dia. Além de Kannei, ela é uma das poucas personagens que anda armada - no caso, com uma enorme lança.
Da academia Rakuyou temos os "vilões" da série, uma vez que essa academia é que exerce um domínio sobre todas as outras. O líder desse colégio é o psicopata Toutaku, apreciador de flores e com planos terríveis para acabar com Hakufu e com qualquer um que o impeça de continuar no poder. Ele é assessorado por suas belas ajudantes: Kaku, a desconfiada conselheira; e Ryofu Housen, gostosona e safádia, que implica bastante com Ryomou - durante uma luta, Ryofu chega a molestar Ryomou. É porque Ryofu é amante de Saji, o mais duas caras do anime, que praticamente trabalha para dois senhores. E a grande dúvida: Ryomou realmente gosta de Saji, que fica brincando com os sentimentos de uma e outra? Ah: Ryofu, posteriormente, trai Toutaku, pois este planejava mesmo passá-la para trás - e com todo apoio de Kaku.
De Yosyuu, temos, entre outros, o grandalhão Taishiji, um dos melhores adversários da heroína. Ah: Hakufu, num acesso de raiva pelo atentado contra Taishiji - que se recusa a matar Hakufu como lhes foi ordenado - "acaba" com os rapazes de Yosyuu, manifestando um poder desconhecido e fatal.
E ainda temos a simpática presença de Ukitsu, a misteriosa moreninha do colégio Gogun. No decorrer do anime, ficamos sabendo que Ukitsu é, na verdade, a nêmesis de Hakufu.
E o último colégio é neutro, cuja importância para a série é mandar juízes para um campeonato de lutas entre colégios que acontece no decorrer da série - a mando de Toutaku. Assim, não é importante saber seu nome.
De fato, existem ameaças ainda piores do que qualquer lutador para vitimar Hakufu. A principal delas? O destino. Acontece que cada um dos personagens sabe quem foram suas encarnações na era dos Três Reinos, e seus respectivos destinos, todos com morte ou subordinação. Exceto, claro, Hakufu, que, por não se dar conta do que a espera, não leva a sério seu destino impresso em sua magatama - fazendo, portanto, um terrível contraponto com os outros personagens, que por levarem a sério seus destinos, chegam a ser bastante sisudos e sérios. Pior: Hakufu possui dentro de si um dragão feroz e destrutivo, que lhe confere poderes inacreditáveis. Mas que pode encurtar sua vida antes que ela encare adversários poderosos, seu maior prazer. E essa é a maior preocupação de Koukin e de Goei.
Mas... pode-se contrariar o destino que está impresso nas magatamas? A história pode se repetir sem ser como farsa, contrariando Karl Marx? É essa a resposta que Hakufu tentará buscar - sem saber. E ainda tem os mistérios da série: quem e onde está Enjutsu? Quais são as verdadeiras intenções de Saji Genpou - que é capaz de manipular mente e, além disso, cujo nome aliás nem é esse? Qual é o papel de Ukitsu no despertar e no controle do dragão de Hakufu? E quem é realmente o grande vilão da série: Toutaku ou...?
O anime tem uma boa animação, mas a história é meio complicadinha de entender da primeira vez. É difícil entender as complexas ligações entre personagens e fatos. Isso, no entanto, fica em segundo plano por causa das garotas, sim. Há insinuações de nudez semi-explícita, sexo (como a discretíssima cena de "amor" entre Saji e Ryofu) e até lesbianismo. Para quem gosta, é um prato cheio. E, é claro, violência, muito sangue espirrando - e não do nariz dos homens, como insinuam.
Este anime também é polêmico, no Brasil. Não apenas pelo ecchi e pelo sistema educacional retratado, que deixariam os educadores brasileiros de cabelos em pé: é porque este anime já foi dublado no Brasil (com o nome Anjos Guerreiros). O problema é que o Cartoon Network, que anunciou IKKITOUSEN em sua programação, nunca tirou-o da geladeira, e por motivos óbvios.
Certo. Para quem se interessou, eis aqui o link do Anime House, o site onde se pode fazer o download da versão legendada desse anime (dentre tantos outros que também oferecem este anime, mas foi daqui que eu tirei): www.an-house.net/.
Para quem gosta de séries "hemorragia nasal", vale uma olhadela. A legendagem é do fansubber Sharingan - Shakaw.
Mais pra frente, comentarei os outros títulos da franquia, DRAGON DESTINY e GREAT GUARDIANS. É. Uma espécie de Trilogia, aqui no Estúdio Rafelipe.
Ah, a propósito: o termo ikkitousen, numa tradução aproximada, significa: "um guerreiro solitário com força para resistir a mil".
Já que falamos em anjos, aqui vai um para encerrar o post:

Um comentário:

Daniel Lima Ferreira disse...

Olá, adorei sua matéria! Gostaria de saber se você pode liberar para ser postada no blog Ikki Tousen Brasil e na página do facebook do mesmo? Lógico com todo crédito e referência a este seu blog e sua pessoa. Eu sou CDC no blog e na página de Ikkitousen.