domingo, 28 de março de 2010

Livro: AMANHECER

Olá.
Continuando a série especial sobre o fenômeno Crepúsculo, que tornou sua autora, Stephenie Meyer, uma das 100 pessoas mais influentes da década pela revista Time, hoje falaremos do último livro da série, AMANHECER.
Aliás, outra capa com significado obscuro (para mim)...

Este é o momento crucial e definitivo da trajetória da garota sortuda mais azarada da literatura, Bella Swan. Depois de indas e vindas, a garota resolve ficar, de uma vez por todas, com o grande amor de sua vida, Edward Cullen, um vampiro.
Este livro apresenta uma estrutura diferente dos outros livros: este, agora, é dividido em "livros" internos. Mas vamos começar do princípio:
Bella começa bem o livro. A vampira Victoria, que estava perseguindo a garota, foi morta junto com seu exército de vampiros recém-criados. Ela está de casamento marcado com Edward. Mas nem tudo são flores: Jacob Black, o lobisomem, o melhor amigo de Bella e terceira vértice do triângulo amoroso com a garota e o vampiro, se exila de Forks, decepcionado por não poder ficar com Bella, o grande amor de sua vida. Isso não quer dizer, no entanto, que o lobisomem tenha saído da vida da garota para sempre.
Bem. O primeiro "livro" do livro é narrado sob o ponto de vista de Bella. Neste livro, em uma pomposa festa, com a presença do pai dela, Charlie, e da mãe também, a garota se casa com Edward. Isso mesmo. Tudo corre muito bem até aí. Mas eis que, entre os convidados (a pedido de Edward), está Jacob. Isso mesmo: se Jacob estava desaparecido no início do livro, ele retorna para assistir o casamento de Bella. No entanto, um desentendimento e uma discussão irritam o lobisomem, que só não estraga a festa por pouco.
Aí, Bella e Edward vão curtir a lua-de-mel sabem onde? Aqui, no Brasil! Numa ilha particular localizada a alguns quilômetros do Rio de Janeiro - a Ilha de Esme - , Bella vai passar momentos idílicos ao lado de seu amado - ou quase. É que Bella vai ter sua primeira vez com Edward, ainda como humana, e sabendo dos riscos: ele é muito forte e acaba, sem querer, machucando Bella. E o momento da primeira vez começa dentro do mar, mas, no parágrafo seguinte, os dois já estão acordando na cama, de manhã. Quem esperava algum erotismo na saga vai se decepcionar um pouco - afinal, Stephenie é adepta da religião mórmon, e seu erotismo é muito sublimado.
A primeira vez é decepcionante para Edward, que desconta sua raiva no mobiliário do quarto. Ele convenciona: não fará amor com Bella ovamente antes que ela seja transformada em vampira. Mas o resto da lua de mel segue bem - ou quase. Bella acaba acometida de estranhos males - não consegue comer e ganha peso muito rápido. Depois, descobre-se que na verdade ela engravidou de Edward. Sim! O problema é que uma humana engravidar de um vampiro é uma ocorrência rara, portanto as consequências não são conhecidas. Sendo assim, Bella e Edward voltam para Forks.
Aqui, começa o segundo livro. Este aqui é narrado sob o ponto de vista de Jacob Black. Sim! Ele tem um modo de narrar muito diferente do de Bella, um modo menos introspectivo, mas ele consegue passar tudo o que sente.
Jacob, que voltou para a casa do pai, Billy, recebe a notícia do retorno de Bella a Forks. Mesmo contrariando as recomendações de Sam Uley sobre a invasão da fronteira do território dos vampiros, Jacob decide tirar satisfações com os Cullen: ele tem um mal pressentimento com relação a Bella. E ele não está errado: a gravidez de Bella é de risco. O bebê se desenvolve numa velocidade assustadora, e machuca a mãe dentro do útero. Mais: sendo meio-vampira, a criança manifesta sede de sangue ainda na barriga da mãe - mas isso os Cullen demoram a descobrir, e quem dá a sugestão de alimentar Bella com sangue é Jacob, indiretamente. A princípio, Jacob se irrita ao ver sua amada sofrendo, deformada. No entanto, Bella não quer interromper a gravidez: ela ama o monstrinho que está sendo gerado, e sente que ele a ama também. Pior: Bella está confiando em Rosalie, a vampira que menos gosta da garota, para ajudá-la.
Essa gravidez causa celeuma entre os lobisomens, que temem que o novo ser cause destruição. Sam e os lobisomens decidem invadir a casa dos Cullen e matar a criança, mas Jacob não concorda, e vai para a casa dos vampiros.
As decisões de Jacob o fazem entrar em choque com a própria tribo, e ele cogita em formar sua própria tribo de lobisomens. Seus aliados, nesse momento, são Seth Clearwater, o lobisomem mais jovem, e sua irmã, Leah, também lobisomem.
Esse capítulo é o mais tenso do livro: se saberá que Bella se tornará vampira, como ela queria - mas não se sabe como. Ainda humana, ela começa a beber sangue para alimentar a criança - Carlisle, o médico e patriarca dos Cullen, consegue o sangue dos bancos de sangue da cidade. Até que chega o momento do parto, e o nascimento da criança é fatal: o bebê praticamente mata Bella, mas o pior não acontece porque Edward e Rosalie injetam na garota o veneno que transforma humanos em vampiros. No entanto, Bella jaz semimorta. Jacob, que presenciou o momento, cogita matar o bebê, mas acontece o inesperado: Jacob acaba tendo imprinting com o bebê, ou seja, encontra na menina sua "alma gêmea".
Sim, menina! Bella batizou a criança como Renesmee - junção dos nomes da mãe da garota, Renée, com o da mulher de Carlisle, Esme.
Aí, começa o terceiro livro, narrado sob o ponto de vista de Bella novamente - mas agora como vampira. Ela se recupera da "morte" provocada pela gravidez de risco, e acorda como vampira. E sente a mudança: a transformação alterou o tipo físico da garota - que ficou mais linda, mais parecida com os vampiros - e já sente despertarem os poderes. Na primeira caçada que ela faz na floresta ao lado de Edward, ela sente a velocidade e o instinto animal - a primeira vítima na nova vampira é um pobre puma. Só as roupas, escolhidas pela bem-humorada Alice, irmã de criação de Edward, que não combinavam.
Quando Bella conhece afinal Renesmee - até então sob os cuidados de Rosalie e de Jacob, que ficavam trocando farpas antes do parto - , a nova vampira se irrita ao saber do imprinting, e quase mata-o - no entanto, Seth e Edward interferem e evitam o pior. Mas está tudo bem: além de saber que Jacob não saiu mais de sua vida, ela agora pode curtir o maridão à vontade. Além disso, Jacob e Renesmee ficam grandes amigos.
A criança apresenta-se um caso único na vampirologia: meio humana, meio vampiro, ela se desenvolve rápido, física e mentalmente, e possui a capacidade de cativar todos ao seu redor. Com poucos meses, ela já tem a aparência de uma menina de três anos.
No entanto, o perigo não acabou. Alice, que pode ver o futuro, acaba tendo uma visão: os vampiros Volturi, defensores das tradições, descobrem que uma das leis vampíricas foi violada - uma humana engravidou de um vampiro e gerou um ser totalmente novo - e estão vindo executar Bella e os Cullen. Sendo assim, os vampiros decidem fazer de tudo para salvar a vida de todos, e vão contar com a ajuda de Jacob e dos lobisomens. Mais: os Cullen resolvem chamar vampiros de todo o mundo para ajudar, todos amigos: uma tribo de amazonas da América, um clã irlandês, muito amigo de Carlisle, um clã egípcio e um clã romeno, que tem contas a acertar com os Volturi. No entanto, Alice e Jasper acabam desaparecendo, deixando estranhas instruções com Bella.
Ah, sim: é neste livro que é revelado o motivo de Bella ser imune aos poderes dos vampiros - como a leitura de pensamentos de Edward ou os poderes de tortura mental da guarda Volturi. E essa capacidade vai ser útil no confronto com os vampiros italianos. Mas dependerá de Alice a salvação de todo mundo.
Este livro alterna momentos de suspense puro com momentos românticos. è o desfecho adequado à série, apesar do final meio em aberto e dos momentos água-com-açúcar. Stephenie Meyer, infelizmente, não é muito talentosa para criar momentos de suspense ou sequências de ação envolventes. Além disso, todos os personagens não são aproveitados convenientemente: afinal, que utilidade teve toda aquela multidão de vampiros na batalha final? E Jacob Black mostra que é o melhor personagem de todos os livros.
Bem, até aqui acabou a parte literária de Crepúsculo. Ah: e não esperem O sol da meia-noite, o livro que Meyer estava escrevendo, e que traria o ponto de vista de Edward da história: a autora desistiu de escrevê-lo depois que doze capítulos vazaram na internet. Mas quem sabe um dia, né?
Na próxima postagem, a última (até agora) desta série especial: Crepúsculo, o filme!

EXPLICAÇÃO DAS ILUSTRAÇÕES
Como AMANHECER, a adaptação cinematográfica, ainda não tem diretor definido (até onde eu sei), ainda não dá para imaginar qual será a aparência de Renesmee. Então, tive de imaginar, com base na descrição do livro.
Ah, e esta última ilustração traz toda a família Cullen reunida numa espécie de foto de família, com Jacob incluído. Modéstia a parte, foi a melhor e mais difícil ilustração que fiz até agora desta série.
Qualquer reclamação, é só deixar um comentário ou mandar um e-mail: rafaelgrasel@yahoo.com.br.
Até mais!

Um comentário:

FERNANDA disse...

pelo q me contaram,a capa do livro amanhecer significa,bella rainha,e renesmee princesa,amo a saga.bjim bjim